terça-feira, 15 de agosto de 2017

Cuscus de couve flôr com vegetais/ Cauliflower couscous with vegetables

É já para a semana que apanho o voo de volta!!!! É verdade vou mais cedo para casa. Que bom!! A única coisa que me stressa é: COMO É QUE EU PONHO TUDO NAS MALAS?! A culpa é minha ninguém me mandou comprar este mundo e o outro. A minha mania de querer trazer algo para toda a gente, e claro, algo (muito) para mim (ahah). Eu quando stresso, como. Por isso, vamos a isso, sim?! Sai cuscuz... de couve flor. Uma receita bem simples e rápida (principalmente se já tiverem a couve flor ralada, como aqui).
Ingredientes:
  • 300 gr de cuscuz de couve flor (aqui vendem já ralada, ai em PT ainda não há esse hábito, basta ralarem a couve flor, dá um pouco mais de trabalho, mas sabe ainda melhor)
  • 1 curgete pequena em cubos pequenos
  • 1 pimento vermelho pequeno em cubos pequenos
  • 1 cenoura pequena em cubos pequenos
  • 3 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de óleo de côco ou azeite
  • sal e pimenta preta para temperar

Preparação:

Começo como sempre - alho e o óleo de coco num wok, deixem alourar. Juntem a curgete, o pimento e a cenoura, coze cerca de 15 minutos (um pouco mais se quiserem os vegetais mais suaves e não tão crocantes). Temperem a gosto com sal e pimenta. Por fim ponham a couve flor, cozam por mais 10 minutos, mexendo sempre, até ficar dourada. Rectifiquem os temperos se necessário. Sirvam e deliciem-se.




__________________________________________________________________English Version

It´s already in the next week that I catch the flight back to Portugal!!!! 

It's true I'm going home early. How nice!! The only thing that stresses me out is: HOW DO I GET EVERYTHING I HAVE IN THE LUGGAGE??!! It's my fault actually, I know! Nobody told me to buy this world and the next one. My stupid habit of bring something to everyone I care about, and of course, something (much) to myself (ahah).

When I stress out I eat. So let´s get to that, okay?! Coming out couscous... of cauliflower. A very simples and quick recipe (especially if you already have the grated cauliflower, like here).





Ingredients:

  • 300 gr of cauliflower couscous (in Portugal they don´t sell it grated, just grate it yourself, gives a little more work, but it tastes even better).
  • 1 smal curgete in small cubes
  • 1 small red pepper in small cubes
  • 1 small carrot in small cubes
  • 3 cloves of garlic, minced
  • 2 tablespoons of coconut oil or olive oil
  • sal and black pepper to season.
Preparation:

Start as always - garlic and coconut oil in a wok, let it brown. Add the curgete, the carrot and the red pepper, cook about 15 minutes (more if you want softest ,and not so crunchy, vegetables). Season with salt and pepper.

Finally put the cauliflower, cook another 10 minutes, stirring constantly, until golden. Rectify the seasonning if necessary. Serve and enjoy yourself.

Cheers.






sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Livro: "Sem Açúcar"/Book: "No Sugar, Desserts and Baking Cookbook"

À muito tempo que queria este livro, muito mesmo. Em Portugal nunca o encontrei e para encomendar pela net ficava um pouco caro. Por isso aqui está ele, direitinho para a minha biblioteca. Mais uma coisa para por na mala. Não sei como mas vai ter de caber tudo. Ahah 


__________________________________________________English Version

I wanted this book very much, and for a very long time. In Portugal I have never found it, and to order on line was a little expensive. So, here he is, straight to my library. One more thing to put in the suitcase. I do not know how I am goint to fit everything. Ahah.


sábado, 5 de agosto de 2017

Bacalhau com Natas (Receita Sem Lactose)/Portuguese Codfish with Cream (Dairy Free Recipe)

Penso que não é a primeira vez que aqui ponha esta receita. Aliás a primeira foi com brócolos e na foi feita na Yammi. Muito boa por acaso.


É um prato tão, mas tão nosso, que não há casa em Portugal em que não seja servido umas quantas vezes por ano. A receita, adaptei-a às minhas necessidades, sem lactose e ligeiramente mais saudável, pois optei por assar as batatas no forno em vez de as fritar como habitual (a minha querida sogra coze-as, também fica bom, e é ainda mais saudável).


Desta vez fiz como agradecimento às minhas queridas C. e M., que têem sido umas óptimas amigas. Não queria vir-me embora sem que elas provassem um pouco do que me dá saudades de casa. Espero que tenham gostado. Foi feito com amor. Ah e um GRANDE OBRIGADO à L. por ter mandado o bacalhau por correio, que rico bacalhau lol. ;)



Ingredientes:

  • 1 kg de batatas cortadas em cubos pequenos
  • 3 a 4 postas de bacalhau demolhado
  • 2 cebolas médias cortadas em rodelas
  • 1 fio de azeite
  • 1 ou 2 colheres de sopa de farinha
  • 3 dentes de alhos picados
  • 1 litro de bebida de arroz ou outra à escolha
  • 1 pacote de natas de arroz ou outras à escolha
  • sal, pimenta preta e noz moscada para temperar
Preparação:


Num panela ponham o bacalhau a cozer com o leite, cerca de 15/20 minutos dependendo da altura das postas. Entretanto, ponham as batatas a assar no forno, com um fio de azeite e um pouco de sal, cerca 30/40 minutos, até estarem crocantes.

Num tacho fundo ponham outro fio de azeite, o alho picado e a cebola à rodelas. Refoguem até a cebola ficar dourada e mole.

Desfiem o bacalhau, mas guardem o leite para mais tarde - vão precisar dele. Acrescentem o bacalhau ao preparado anterior, da cebola e do alho. Deixem apurar por 5 minutos e acrescentem o leite (coem, para tirar alguma espinha que tenha ficado) e a farinha. Mexam e temperem com sal, pimenta e noz moscada. Deixem engrossar.

Por fim acrescentem as batatas assadas. Rectifiquem os temperos e disponham o preparado num tabuleiro de ir ao forno. Por cima espalhem as natas. Levem ao forno, 180º, para gratinar, cerca de 20 minutos.



__________________________________________________English Version


I think I already have putted this recipe here, but it was with broccoli, and it was made in the kitchen robot. Very good by the way.

This dish is so, but so, ours, that there is no house in Portugal, where is not served a few times a year. The recipe, I adpated it to my needs, lactose free and slightly healthier, as I chose to bake the potatoes in the oven isntead of frying them as usual (my dear mother-in-law boil them in water - also good, and even healthier).

This time, I, made it to thank my dear C. and M., who have been great friends. I did not want to leave without them trying a little of what I miss from home. I hope you enjoyed. It was made with love. Oh and a big THANK YOU to L. for sending the cod by post. What a rich cod lol ;)


Ingredients:

  • 1 kg of potatoes cut into small cubes
  • 3 to 4 battered cod pieces (Dried, salty cod - it needs to be soak in water for about 24 hours, before use)
  • 2 medium onions cut into slices
  • 4 tablespoons of olive oil
  • 1 or 2 tablespoons of flour
  • 3 cloves garlic, minced
  • 1 liter of rice drink or other of choice
  • 1 package of rice cream or other of choice
  • sal, black pepper and nutmeg to season
Instructions:

In a pan put the cod to cook with the milk, about 15/20 minutes depending on the height of the cod. Meanwhile, put the potatoes to bake in the oven, with a little bit of olive oil and salt, 180º, about 30/40 minutes, until crispy.

In a deep pan add the rest of the olive oil, the chopped garlic and onion. Sauté until the onion is golden and soft.

Shred the cod, but save the milk for later - you will need it. Add the cod to previous mixture of onion and garlic. Let it rinse for 5 minutes and add the milk (leach it first, to get some bones from the fish that has remained), and the flour. Stir and season with salt, pepper and nutmeg. Let thicken.

Finally add the baked potatoes. Rectify the seasonings and put it in a baking tray. Spread the cream on top. Bring to the oven, 180 degrees, for gratin, about 20 minutes.

Enjoy!



terça-feira, 1 de agosto de 2017

Espécie de Caril Vegan, mas sem caril (E, temperar com sacos de chá)/ Kind of Vegan Curry, but without Curry (and seasoning with Tea Bags)

Nós portugueses temos uma grande reputação de "desenrascados" não é verdade?! Eu penso que sim. Aliás gosto de pensar que isso abona a nossa favor. Esta ideia de temperar com sacos de chá vem mesmo daí, do desenrascanço tão típico Tuga.

Na hora de fazer o caril esqueci-me que não estava propriamente em casa, onde tenho todas as especiarias à disposição, e não comprei caril. Trágico (lol), eu sei! Mas não há crise aqui a bela da Tuga desenrascou-se com um belo saquinho de chá de curcuma. E não é que ficou aprovadíssimo?!



Ingredientes:
(Serve 3 porções)

  • 2 dentes de Alho picados
  • 1 pedaço de Gengibre em pedaços (o tamanho vai depender do vosso gosto)
  • 2 Colheres de sopa de Azeite ou óleo de Côco
  • 1 embalagem com mix de Brócolos, Couve Flor e Cenoura (cerca de 350 gr/400gr) já cortados em pedaços
  • 1 Embalagem de Ervilha de Quebrar (cerca de 200 gr)
  • 1 lata de grão escorrida 
  • 1 Lata de leite de côco (200 ml)
  • Sal dos Himalaias, Pimenta Preta para temperar
  • 1 saco de chá de Curcuma (o seu interior, as ervinhas secas, sem fazer o dito chá)
  • 1 saco de chá verde (mais uma vez só as ervas secas)
  • Arroz Basmati para acompanhamento


Preparação

Numa frigideira funda comecem por alourar o alho e o gengibre, com o azeite. Juntem a mistura de brócolos, couve flor e cenoura, deixem cozer cerca de 15 a 20 minutos, mexendo sempre, em lume brando. Acrescentem as ervilhas de quebrar e o grão, coze mais 10 minutos. Juntem os temperos, mexam e acrescentem o leite de côco. Deixem engrossar o molho (cerca de 5 minutos, dependendo do leite de côco que usarem). Rectifiquem os temperos e sirvam com o arroz basmati.



_________________________________________________English Version

We de portuguese people have a reputation of being disencumbered (I am not sure of this translation, because in english it doens't exist a word with the same meaning), is not true? I think so. In fact I like to think that this pays in our favor. This idea of using bags tea to season with tea bags comes exactly from my portuguese roots, the art of "desenrascar", so typically "tuga" (portuguese).

When I started to make the curry, I forgot that I wasn't, properly, in my house, where I have all the spices available, so I noticed that I forgot to buy curry. Tragic (lol), I know! But it doens't matter, the beautiful "tuga" (me) disencumbered herself with one amazing tea bag of tumeric. And it worked so, but so, well.



Ingredients:

  • 2 cloves of garlic, minced
  • 1 piece of ginger, minced (the size will depend of your taste)
  • 2 tablespoons of olive oil or coconut oil
  • 1 package of broccoli, cauliflower and carrot mix (about 350/400 gr), cutted in pieces.
  • 1 package of snow peas or sugarsnaps (about 200 gr)
  • 1 can of chickpeas (drained)
  • 1 can of coconut milk (200 ml)
  • Himalayas salt or other
  • 1 bag of turmeric tea (just the dryed leaves, without putting the water)
  • 1 bag of green tea (the same, just the dried leaves)
  • basmati rice to serve


Instructions:

In a deep frying pan, start to browning the garlic and ginger, with the olive oil. Add the mixture of broccoli, cauliflower and carrot, let it cook about 15 to 20 minutes, stirring constantly, on a low heat. Add the snow peas and the chickpeas cook another 10 minutes. Add the seasonings, stir and add the coconut milk. Let the sauce thicken (about 5 minutes depending on the coconut milk you use). Rectify the seasoning and serve with the basmati rice.

Enjoy.







sexta-feira, 21 de julho de 2017

Compras Supermercado Chinês/ Chinese Supermarket Shopping




Adoro experimentar alimentos novos, por isso ir ao supermercado chinês é sempre uma tentação. Desta vez controlei-me, como podem ver, fui linda e só comprei duas coisinhas.  Ambas muito boas. Em Portugal vou procura-las no Martim Moniz.
Os biscoitos são chamados de "guarda-chuva" pela sua forma, e são de sementes de sésamo. São bastante bons o único senão é a utilização de óleo de palma, por isso, comer com moderação, de preferência.
E a sopa de miso, também muito boa, bem levezinha mas com imenso sabor.



_________________________________________________English Version


I love to experiment new food, so going to the chinese supermerkat it's a temptation. This time I controlled myself, as you can see, I was a beautiful girl and I just bought two things. Both very good. I will try to get them in Portugal, in Martim Moniz.


The biscuits are called umbrella biscuits because of there shape, and they have sesame seeds. They are very good, the only drawback is the use of palm oil, so eat, preferably, with moderation.
And the miso soup, also very good, very light but with a lot of flavour.







quinta-feira, 20 de julho de 2017

Cafeteira Bialetti/Bialetti Coffee Maker


O café é das coisas que mais sinto falta (penso que falo pelo M. Também). Não quero uma caneca gigante de café (um americano). Quero um café. Pura e simplesmente um café. E quando peço um expresso é óbvio que não é duplo, se assim fosse pedia um expresso duplo.

As minhas queridas amigas C. e M. fizeram a amabilidade de nos trazer esta maravilhosa cafeteira da Itália, e digo-vos: fizeram elas tão, mas tão, bem. Não há nada melhor que o cheiro  a café de manhã.

Aconselho-vos a comprar uma, nem que seja para usar naqueles domingos de Inverno preguiçosos, em que lá fora só chove e a cama teima em não nos largar.



__________________________________________________  English Version


Coffee is one off the things I miss the most (and I think I talk for M. too). I don´t want a giant cup of coffee (one american). I want coffee. Pure and simple coffee. And when I ask for one expresso it´s obvious is not double, otherwise I would ask for a double one.

My dear friends C. and M. where very kind and brought me this coffee maker from Italy. And let me tell you: they did very, very, well. There's nothing better than the smell off fresh coffee in the morning. 

I advise you to buy one, even if it's only for you to use it on those lazy winter sundays, where it rains outside and your bed insists on not let you go.







domingo, 16 de julho de 2017

Pão/Bolo Polaco de Sementes de Papoila / Polish Poppy Seed Bun





Este pão/bolo foi uma excelente surpresa. Tem recheio de frutas e sementes de papoila. Adorei e vou voltar a comprar de certeza.

Aqui nesta zona há uma grande comunidade de polacos o que torna a aquisição dos seus produtos muito mais fácil. Têm inclusivamente uma pequena loja com coisas muito interessantes. Em Portugal há vários mercados com produtos de leste, os quais, com tempo irei aventurar-me, quando voltar.


__________________________________________________English Version


This bread/cake was one excelent surprise. It has fruit and poppy seeds filling. I love it and I will buy again for sure.

In this area there is a lot of polish people which makes the acquisition of their products easier. They have even a small shop with lots of interesting things. In Portugal there are a few markets with east products, which in time, I will venture myself, when I return.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Livro: Marry Berry: Cook Now, Eat Later

Mais uma aquisição para a minha biblioteca. Não resisto a mais um livro de culinária. 

Estou ansiosa para voltar à minha cozinha e pôr em prática algumas destas receitas, bem interessantes. Já tenho uma lista (bem longa) de receitas para testar :) 

Só faltam 4 meses e meio. Está quase. :)
____________________________________________________English Version


Another addition to my library. I can't resist to one more Cookbook.

I can't wait to get back to my kitchen and put into practice some of these interesting recipes. I already have a (very long) list of recipes to test:) 

Only 4 and a half months to go.  Almost there people. :)





terça-feira, 27 de junho de 2017

Dica: Manteiga de Amendoim e Côco Meridian/Meridian Coconut and Peanut Butter

Sei que em Portugal não há esta marca, mas não resisto a partilhar o quão boa é esta manteiga de amendoim. Eu confesso que tenho um problema com a manteiga de amendoim. Faz-me muita sede, não sei se é só comigo ou se acontece a mais alguém, mas eu chego a engasgar-me com a manteiga de amendoim, fico com a garganta mesmo seca. Não é o caso desta, que é maravilhosa. 

Sem dúvida que irei trazer uns quantos frascos comigo quando voltar (o M. não gosta de côco, mas ele nem nota ahah). E, ainda para mais, não tem qualquer adição de açúcar, sal ou óleo de palma - ainda melhor.

(Para quem deseja muito prová-la pode passar na Amazon e encomendar.)



__________________________________________________________________English Version


I know that in Portugal there is this brand, but I can't resist to share how good is this peanut butter. I confess that I have a problem with the peanut butter. Makes me thirsty, I don't know if it's just me or if it happens to anyone else, but I get to choke me with the peanut butter, I get really dry throat. This is not the case of this, which is wonderful.

No doubt I'm going to bring a couple of jars with me, when I get back (M. doesn't like coconut, but he doesn't note it ahah). And, it doens't have any addition of sugar, salt or Palm oil - even better.

(For those who want to really prove it can spend on Amazon and order)








quinta-feira, 22 de junho de 2017

Salteado de Tofu Fumado e Vegetais/Smoked Tofu and Green Veggies Stir fry

A vida é algo muito engraçado. Nunca corre como esperamos. Por mais que nos esforcemos "ela" arranja sempre forma de correr ao contrário do que queremos e manda-nos abaixo. Mas ao mesmo tempo "Deus escreve direito por linhas tortas", estou aqui e se não fosse isso nunca teria conhecido a E. e a C.. Duas irmãs italianas que, como eu, adoram comer. E, é engraçado, como parece que as conheço desde sempre. Não correu como esperava mas ganhei novas amigas.

Esta receita é muito simples e fácil de fazer
O tofu fumado foi sugestão da E. Dedico esta receita a vocês as duas.
Obrigada pelo apoio e pela vossa ajuda Sorellinas. ;)


Ingredientes:

  • 1 Embalagem de Tofu Fumado, cortado em pequenos cubos
  • 1 a 2 colheres de sopa de óleo de côco
  • Alho em pó (se tiverem fresco melhor claro), pimenta preta, sal dos himalaias, gengibre em pó (o mesmo, se tiverem fresco melhor), Curcuma em pó (usem da boa por favor, vale a pena dar um pouco mais de dinheiro e comprar bio), para tempero
  • 1 Embalagem de vegetais para salteado (em Portugal não temos muito este hábito - podem usar os verdes que quiserem, neste caso tinha: brócolos, couve kale, alhos francês, cebolinho, cebola, feijão verde -  não se esqueçam de os picar grosseiramente)
Preparação:

Num wok ou frigideira funda derretam o óleo de côco, incluam o tofu e cozinhem por 10 minutos. 

Juntem os vegetais, temperem a gosto (não se esqueçam da curcuma e do gengibre, são óptimos anti-inflamatórios e completamente naturais), cozinhem cerca de 15 a 20 minutos - dependendo de como gostam dos vegetais, se al dente ou mais cozidos.

Rectifiquem os temperos e sirvam.


____________________________________________________English Version

Life is something very funny. It never runs like we hope. As much as we do our best "she" always finds a way to run diferently to what we want, and kick us in our buts. But, at the same time "God works in misterious ways", and I am here, and if it wans´t for that I would never met E. and C.. Two italian sisters, that, like me, love food. And, it´s funny. It seems that I know them forever. It didn´t go as I´d hoped for, but I got new friends. 

This recipe is very simple and easy to do. The smoked todu was E. suggestion. I dedicate this recipe to you both.

Thanks for your support and help Sorellinas. ;)


Ingredients:

  • 1 Package Smoked Tofu, cut into small cubes
  • 1 to 2 tablespoons of coconut oil
  • Garlic powder (fresh is better of course), black pepper, salt from the Himalayas, ginger powder (the same fresh, better), Turmeric powder (use good one please, it´s worth giving a little more money and buy bio), for seasoning
  • 1 package of Stir Fry vegetables (in Portugal we don't have this habit - you can use the Greens you want, in this case it was: broccoli, kale, garlic, chives, onions, French green beans-don't forget the coarser chopping result)

Instructions:

In a wok or deep frying pan melt the coconut oil, include tofu and cook for 10 minutes.

Join the vegetables, seasoning for taste (don´t forget the turmeric and the ginger, they are great anti-inflammatory and completely natural), cook about to 15 - 20 minutes - depending on how you like the vegetables. if "al dente" or over cooked.

Rectify the seasoning and serve.




quarta-feira, 17 de maio de 2017

Estar fora do nosso elemento/ Being out of our element

Tenho passado por aqui mas não tenho publicado nada porque estou e estarei fora de Portugal por uns meses.

É estranho estar fora do nosso elemento e estar constantemente a pensar noutra língua que não a nossa própria. É difícil não vou mentir. Tudo é diferente, as pessoas, a comida, o tempo, os comportamentos, as tradições, a forma como olham para alguém estranho. 

É uma constante tentativa de adaptação ao país onde nos encontramos. Há dias melhores e há dias piores, basicamente. É uma questão de ver o melhor de todos os dias.

Hoje chove (bastante por acaso), mas deixo uma fotografia. Mostra que Portugal está em todo o lado, e que em cada esquina há um português algures.







________________________________________________ English Version

I've been here but I haven´t posted anything because I am and I will be out of Portugal for a few months.

It's weird to be out of our element and be constantly thinking in another language other than our own. It´s dificult, I won´t lie. Everything is different - the people, the food, the weather, the behaviors, the traditions, the way people look at a foreign. 

Is a constant attempt to adapt to the country where we are. There are better and worse days, basically. It´s a matter of seeing the best of every day.

Today it rains (quite a lot), but I leave a photo. It shows that Portugal is everywhere, and in every corner there is a Portuguese somewhere.






domingo, 26 de março de 2017

Brownie de Abacate e Chocolate

O M. adoro brownies (apesar de não gostar de chocolate, diz ele) e eu também sou bastante apreciadora claro. Este em questão tem uma textura mais "cola", bastante agradável.

Infelizmente fiz a receita toda a olho, mas penso que conseguirem deixar aqui as quantidades essenciais.



Ingredientes:


  • 2 ovos
  • 2 abacates esmagados em puré
  • 150 gr de açúcar, metade moreno, metade amarelo
  • 8 colheres de sopa bem cheias de farinha
  • 1 colher de café de fermento
  • 100 gr de chocolate em pó
  • 1 mão bem cheia de frutos secos (usei pistácios, nozes pecan e nozes macadâmia)
  • 80 gr de chocolate negro picado (ou em pepitas)

Preparação:

Pré-aqueçam o forno a 180 º.

Batam os ovos em velocidade baixa, até ficarem dobrarem de tamanho. Acrescente os açúcares e bata até estarem bem misturados. Acrescentem os restantes ingredientes, batam em velocidade baixa, pela ordem: abacate, fermento, farinha, chocolate em pó, frutos secos.

Vertam o preparado numa forma de brownie, untada de manteiga e polvilhada de farinha, vai ao forno a 180 º, cerca de 30/40 minutos.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Experiências Gastronómicas - Roma (Itália)

Coliseu de Roma

Esta viagem foi feita em Fevereiro, para comemorar o nosso aniversário. Estávamos a precisar de umas mini férias assim, só nós dois. Valeu pelo resto do ano.

É-me muito difícil escolher de entre as 600 fotos que tirei, e cingir-me apenas a meia dúzia de locais mais badalados, pois acho que não vi tudo o que tinha a ver. A bem dizer vi os principais locais de Roma, mas não teria problema de ficar mais 5 dias para explorar as partes menos turísticas da cidade.

Roma é fantástica. O centro da cidade está sempre cheio de gente, uma confusão bem-vinda, para mim que adoro "espreitar" os outros. Se se conseguirem sentar por uns minutos, apreciem o vai e vem de gente de diferentes nacionalidades.

Um dos locais que gostei de visitar foi o Coliseu Romano, a parte de fora, principalmente. Só vale a pena ver por dentro se comprar um bilhete que já inclua o coliseu, caso contrário, não acho que valha a pena, comprar uma entrada, única e exclusivamente, para ver o seu interior.

Fontana di Trevi
Das coisas mais lindas que vi foi, sem dúvida, La Fontana di Trevi, adorei, ainda lá fomos duas ou três vezes. Quer seja de dia ou de noite, é simplesmente fantástica. Feita de mármore, é a maior fonte de Roma com 26 metros de altura e 20 de largura. Reza a história que quem mandar uma moeda à fonte, voltará a Roma. Há ainda uma outra lenda, não tão conhecida, que faz notar a Fontana degli Innamorati, um pequeno chafariz ao lado da Fontana di Trevi, em que os apaixonados que matarem a sede com a água deste chafariz, ficarão juntos para sempre.


Vale a pena a visita ao Vaticano, nem que seja para apreciar a magnitude da riqueza daquele pequeno estado. Se não quiserem estar na fila para os bilhetes podem sempre aproveitar as inúmeras propostas dos guias disponíveis, sejam persistentes e consigam a oferta mais baixa. Ao irem com um guia têm a vantagem de passar à frente da fila (que pode bem ser enormíssima, em alguns dias).


Basílica de São Pedro - La Pietá
No Vaticano o que mais gostei foi a Capela Sistina (não é permitido fotografar, ou mesmo, fazer barulho). Situada no Palácio Apostólico, é popular pela sua arquitectura, influenciada pelo Templo de Salomão do Antigo Testamento, e pelos seus frescos, pintados pelos maiores artistas da época Renascentista, em especial Michelangelo. Este concebeu o tecto da capela, entre 1508 e 1512, a pedido do Papa Júlio II. Os seus vários elementos são parte de um plano maior, que inclui um outro grande fresco, o fresco do Juízo Final, situado na parede do altar do santuário (o meu preferido diga-se). 
Igreja Gótica Santa Maria Minerva
 (única em Roma neste estilo)
Estátua de São Pedro, em Bronze,
 da autoria de Arnolfo di Cambio, do século XIII
Se se conseguirem sentar na capela (tarefa muito difícil porque está cheia de gente) apreciem os diferentes frescos - poderão ver a diferença entre eles, os primeiros frescos são mais pequenos que os restantes. Michelangelo enquanto escultor terá tido alguma dificuldade de percepção em pintura, daí a diferença entres eles. A capela tem 40.9 metros de comprimento e 14 metros de largura, de salientar que Michelangelo pintou o tecto, sozinho, de pé, em andaimes. É de valor! Se ele fosse efectivamente um pintor, não sei o que teria conseguido fazer.


Também no Vaticano vale muito a pena visitar a Basílica de São Pedro (gratuita) - um dos maiores e mais importantes edifícios católicos do mundo.  É enorme, com uma área de 23 000 m2, podendo albergar mais de 60 000 devotos no seu interior. No seu interior pode ser vistas inúmeras obras de artes, destaco o Baldaquino de Bernini, La Pietá de Michelangelo e a estátua de São Pedro. Não saiam sem passar a mão pelos pés de São Pedro (reza a lenda que tal gesto trará sorte), podem constatar que os pés do mesmo estão gasto pelo toque dos vários devotos que aí passam todos os dias.


La Bocca della Verità é também um símbolo a visitar. Situada no pórtico da Igreja de Santa Maria in Cosmedin (Igreja medieval que vale a pena visitar). Muitas histórias se contam em relação a esta escultura de mármore. A mais badalada conta que um marido desconfiando da fidelidade da mulher, levou-a perante a Boca da Verdade. Esta fingiu um desmaio e o seu amante apanhou-a. Dessa forma a mulher jurou perante a Boca da Verdade que só havia estado entre os braços do marido e do homem que acabava de a segurar. Reza a história que aqueles que não disserem a verdade ficariam sem a mão. Eu pus a mão e parece que me safei ;) A verdade é que não se sabe efectivamente a sua origem, muitos acreditam que não passa de um tampa de esgoto decorativa, verdade ou não, vale a pena pela piada de tirar uma foto.

As Igrejas são todas gratuitas e de uma enorme riqueza cultural e artística.  Depende de cada um se quer ou não deixar um donativo, ao fim cabo, elas são património de todos, património esse que precisa de restauro e cuidado frequente.


A alimentação em Roma é ligeiramente mais cara que em Portugal, não fossem eles das cidades mais visitadas da Europa. Confesso que não comemos fora muitas vezes, ficámos num apartamento, perto do centro, que tinha uma pequena cozinha e, como tal, fazíamos quase todas as refeições em casa. No dia do nosso aniversário fomos experimentar um restaurante típico (estilo tasca portuguesa) localizado no bairro onde estávamos hospedados. Comemos uma maravilhosa carbonara, como nunca tinha comida na vida - Carbonara original, feita apenas com ovos e pimenta preta, adorei e tentarei replicar em casa.  E comemos uma pizza maravilhosa de pimentos (pedimos de peperroni, mas o empregado não percebeu e também não quis saber, felizmente era boa), massa super fina e crocante. 
Restaurante La Locanda -
Lasagna alla Bolognesa
Restaurante La Locanda - Tiramisú

Infelizmente o atendimento não é como cá. Os empregados não são nada simpáticos, principalmente quando vêm que não és italiano. O que me desiludiu um pouco. Mas até percebo, é impossível manter o nível de simpatia elevado, quando todos os dias somos "inundados" por gente de fora. Possivelmente é que o vai acontecer por cá, agora que Lisboa está na moda.
Tivemos ainda outra experiência no restaurante La Locanda, só entrámos porque estávamos cansados e a morrer fome. A comida em si não era nada de extraordinário. O atendimento foi excelente, a empregada muito simpática e prestável (foi a única nos 5 dias). O melhor foi mesmo o tiramisú, uma autêntica maravilha.


E falando em Tiramisú, houve um sitio em que me viciei enquanto lá estive: a Pompi. Ah a bela da Pompi! Eu por mim vivia só de ir à Pompi, de certeza que me ia tornar numa baleia claro, mas ia valer a pena. A Pompi, meus queridos é um dos sítios onde podem comprar um belo e generoso tiramisú pela quantia de 4€, e têm para todos os gostos, pois eles não se ficam só pelo normal, têm também de morango, pistácio, frutos vermelhos, entre outros sabores. Quem não é apreciador não tem desculpa para não comer nada, pois eles têm também gelados e outra iguarias igualmente boas e calóricas.

Pompi - Tiramisu de Morango e Gelado de Morango e Pistácio



Capela Cerasi - Caravaggio
 Igreja Santa Maria del Popolo

Museu do Carabinieri - Gratuito
Muito interessante e bonito, vale a pena.

Castelo de Santo Ângelo

Biscoitos muito bons com Amaretti
(devia ter comprado mais)
Bombons Ferrero - edição que nunca tinha visto por cá,
bem bons por sinal (também devia ter comprado mais)


sexta-feira, 17 de março de 2017

Compras para a Cozinha = Formas novas

Aproveitei que estavam a bom preço e trouxe novas aquisições: 1 forma para pizzas e 1 forma para tortas.

Mal posso esperar para as usar.



quarta-feira, 15 de março de 2017

Creme de Couve Flor com Fios de Bacon

Ao M. apetecia-lhe "creme branco". Lá saiu creme de couve flor, inspirado na receita do Chefe Henrique Sá Pessoa. Com algumas alterações, ficou bastante boa, principalmente com o toque do bacon.

Peço desculpa pela qualidade das fotos. Tive de tirar as fotos bem rápido, porque senão só mostrava as tigelas vazias. Não sobrou nada.




Ingredientes:

  • 1 Couve flor média mais uma pequena
  • 1 chalota 
  • 1 pouco de manteiga (a gosto)
  • 1 pouco de azeite (a gosto)
  • 1 l de leite  ou água (à escolha, usei de aveia)
  • 1 folha de louro
  • 1 embalagem de fios de bacon
  • Creme de Vinagre Balsâmico (a gosto)





Preparação:

Comecem por cortar a couve flor e a chalota em pedaços, refoguem tudo em manteiga, cerca de 5 minutos.

Juntem o leite até cobrir a couve-flor, e deixem cozer com uma folha de louro durante 5 minutos.

Numa frigideira anti-aderente, fritem os fios de bacon, sem adicionar qualquer gordura. Reservem.

Triturem bem o preparado. Rectifiquem os temperos e juntem um pouco de creme de vinagre balsâmico, misturem bem.

Sirvam, reguem com mais creme de vinagre e, por cima, os fios de bacon.

Apreciem.